quinta-feira, 3 de abril de 2014

MINISTÉRIO PÚBLICO DO RIO GRANDE DO SUL DENUNCIA 15 PESSOAS POR CORRUPÇÃO DE VERBAS NA PROCEMPA...

Procempa
sala cofre
A denúncia criminal encaminhada à Justiça do Rio Grande do Sul descreve os esquemas de corrupção entre gestores da Procempa e empresários. Depois de 10 meses de trabalho, o MP entregou nesta terça-feira à Justiça do Rio Grande do Sul a primeira parte das investigações feitas na Procempa. Entre os ex-gestores, funcionários e fornecedores de serviço, 15 elementos foram denunciados por crimes como formação de quadrilha, peculato e falsidade ideológica. A roubalheira envolvia uso de NOTAS FRIAS para pagamento de SERVIÇOS INEXISTENTES. A investigação, conduzida pela Promotoria de Defesa do Patrimônio Público, é o primeiro a ser concluído. Pelos menos outros oito expedientes criminais relacionados à Procempa seguem em acelerada apuração no Ministério Público Estadual. Entre os denunciados, estão os principais nomes ligados à gestão da companhia entre 2005 e junho de 2013, quando graves irregularidades e desvios derrubaram o comando da Procempa. A denúncia do MP reforça antigas suspeitas de funcionários e do vereador MAURO PINHEIRO (PT) de que a Procempa era usada para ESCOAR DINHEIRO PÚBLICO em favor de interesses privados, especialmente por meio de pagamento de serviços e de eventos que em nada se relacionavam com a finalidade da empresa. Nos casos investigados pelo Ministério Público, não se fala em superfaturamento de contratos suspeitos, mas de serviços NUNCA EXECUTADOS, apesar de declarados e pagos. Ao aprofundar na contabilidade da empresa, o Ministério Público rastreou empresas credoras e, a partir de pistas fornecidas por testemunhas, focou em atos suspeitos. Uma lista de 27 ações, com impressão de manuais, livros, folderes e a sonorização de eventos, causou desvio de R$ 1,4 milhão, segundo o Ministério Público. Foram pagamentos feitos entre 2011 e 2013. - No recorte de tempo e serviços que temos sob investigação, a suspeita é de desvios em torno de pelo menos R$ 10 milhões. HÁ MAIS EMPRESAS E OUTROS SUSPEITOS SENDO INVESTIGADOS - explica a promotora MARTHA WEISS JUNG, que comandou a investigação. 


ROUBALHEIRA NA PROCEMPA DETALHA USO DE NOTAS FRIAS
Procempa
A denúncia do MP remetida à 2ª Vara Criminal de Porto Alegre teve como base, além do resultado da devassa na contabilidade da empresa, depoimentos de fornecedores de serviço que admitiram terem CONCEDIDO NOTAS FRIAS. Agentes do GAECO - Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado também detalharam conversas registradas em e-mails e analisaram movimentações bancárias para rastrear o CAMINHO DO DINHEIRO utilizado para pagar os SERVIÇOS INEXISTENTES.  Há graves suspeitas de que algumas empresas tenham sido montadas unicamente para SERVIR O ESQUEMA DE DESVIO DE RECURSOS. Pelo menos 10 empresas ainda estão sob investigação. Testemunhas ouvidas pelo MP contaram que funcionários da Procempa assediariam pequenos empresários a fim de montar o esquema de fornecimento de NOTAS FRIAS. Desde 2012, o Ministério Público fazia apurações preliminares sobre a "contratação" da Sala Cofre da Procempa. Batizada de OPERAÇÃO SETE CHAVES, a apuração ainda não está concluída, mas ajuda a desvendar um cenário em que ocorreria o SUPERFATURAMENTO DE CONTRATOS e de serviços e o PAGAMENTO DE PROPINA.

OS 15 INDICIADOS PELO MINISTÉRIO PÚBLICO
# ANDRÉ IMAR KULCZYNSKI,  o poderoso ex-presidente da Procempa e servidor público estadual. Trabalha na Secretaria Estadual da Fazenda.
# AYRTON GOMES FERNANDES, ex-gerente financeiro da Procempa, servidor de carreira. Ayrton está em processo de demissão da empresa de TI.
# GIÓRGIA PIRES FERREIRA, a poderosa ex-diretora administrativa da Procempa. Foi demitida no começo do escândalo.
# MATUSALÉM MARCELINO ALVES, o homem do PPS dentro da Procempa. Foi gerente de Logística da Procempa. Foi demitido. 
# CHRISTIAN MEIRELLES, ex-CC na Procempa
# ADRIANA BONIATTI, ex-assessora de projetos especiais da Procempa
# GUSTAVO SOUZA MACHADO, ex-coordenador de comunicação da Procempa.
# CLARISSE ROSI LEMOS DA COSTA, servidora de carreira da Procempa.
# CIELITO REBELATTO JÚNIOR, sócio da empresa DADUTTY REPRESENTAÇÃO;
# JOSÉ GABRIEL SILVEIRA LAGRANHA, sócio da empresa GREGORY & LAGRANHA E CIA LTDA., cujo nome comercial é GYPSET.
# CARLOS ALEXANDRE  GIACOMUZZI, sócio da empresa MÍDIA SUL.
# GREGORY FRANCESCHI GOMES, ex-CC da Procempa e genro da poderosa ex-diretora administrativa GIÓRGIA PIRES FERREIRA.
# ALCIDES MONTEIRO GUIMARÃES, sócio da AMG MARCENARIA.
# JOÃO CARLOS FERRER FEIJÓ, servidor de carreira da Procempa. 
# GERUSA GULARTE MACIAZEKI BITENCOURT, ex-CC da Procempa. 

É bom lembrar que todo este escândalo só veio a público depois de anos de denúncias do vereador MAURO PINHEIRO (PT) e do SINDICATO DOS TRABALHADORES EM PROCESSAMENTO DE DADOS DO RIO GRANDE DO SUL. Embora o prefeito JOSÉ FORTUNATTI diga  que foi ele que ordenou a devassa na empresa. Ele só mandou investigar depois que ficou sabendo que o Ministério Público estava fazendo uma rigorosa investigação. E tem muito mais coisas que vão aparecer. Falta os GATOS FELPUDOS... Todos devem saber que a real intenção do comando da Procempa que foi demitido tinha só um interesse: PRIVATIZAR A EMPRESA!!! Tudo com o aval do URBANO SCHIMITT, do ROBERTO BERTONCINI, do  RODRIGO SARTORI FANTINEL (o homem do CRISTIANO TATSCH (especialista em escândalos), do JOÃO BATISTA LINCK FIGUEIRA e outros manjados figurões que trabalham perto do Mercado Público Municipal de Porto Alegre...