quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

FESTIVAL DE IRREGULARIDADES NA PREFEITURA MUNICIPAL DE CANDELÁRIA



O Tribunal de Contas do Estado está na cola do prefeito e do ex-prefeito de Candelária. A situação pior é do ex-prefeito Lauro Mainardi. O processo do TCE é de nº 006188-20200/14-8, aberto em 26/04/2014. Foi uma inspeção extraordinária que investigou a Prefeitura Municipal de Candelária.

Foram apontados graves irregularidades relativas ao convênio firmado desde 2004 com a Associação Pró Desenvolvimento da Cidadania de Candelária - ADECCAN (uma OSCIP) para a contratação de profissionais visando ao atendimento a programas sociais e assistenciais do Governo Federal.  Constatou-se, que além da terceirização irregular, existem outras impropriedades que maculam a execução do convênio, quais sejam:

A) - Ausência de procedimento licitatório  na contratação da ADECCAN
B) - Graves irregularidades na estrutura física da entidade (não existência de endereço da associação)
C) - Repasse indevido de valores referentes às contribuições previdenciárias devidas aos funcionários da ADECCAN, caracterizando o desembolso de valores em duplicidade pela auditoria à ADECCAN, que somente no exercício de 2013 representou o total de R$ 210.592,58

Todas essas graves irregularidades ocorreram com a conivência dos atuais e antigos gestores.

Todos tinham (e tem) conhecimento de que as terceirizações eram irregulares, pois existem pareceres da própria procuradoria jurídica do município e do próprio Tribunal de Contas do Estado, nas quais afirmam que as terceirizações essenciais da administração estão em desacordo com a grande parte dos funcionários da ADECCAN que exercem suas funções nas repartições públicas. A maioria dos funcionários (contratados pela ADECCAN) são filiados aos partidos que compõem o atual governo, demostrando a ligação política da entidade. Além disso os dois últimos presidentes da entidade foram candidatos a vereadores em Candelária, representando a coligação da atual gestão. 

O Tribunal de Contas da União exige a devolução de mais de R$ 1.788.000,00 aos cofres do Erário (de 2009 a 2013). Sem falar que nos valores de 2014.

Uma perigosa CPI está chegando...

A ex-primeira-dama tem que se preocupar, pois seus ex-funcionários, que ele afirmava serem "voluntários", estavam  na folha de pagamento da ADECCAN. O que caracteriza uma fraude...

IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA NELES!!!

A POLÍCIA FEDERAL ESTÁ NA JOGADA. TEM DINHEIRO DO GOVERNO FEDERAL ENVOLVIDO... 

Um comentário:

  1. Vamos colocar no fantástico e acabar com isso!

    ResponderExcluir