sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

DOLEIRO ALBERTO YOUSSEF DIZ QUE DINHEIRO DA PETROBRAS FOI ENTREGUE NA ARENA DO GRÊMIO. A LAVA-JATO TÁ CHEGANDO FORTE NO RIO GRANDE DO SUL...



Alberto Youssef (muito conhecido por um ex-presidente da CRT) detalhou esquema de remessa de dinheiro da empresa OAS






Ao detalhar um processo de lavagem de dinheiro do esquema investigado pela Operação Lava-Jato, o doleiro Alberto Youssef (muito conhecido por um ex-presidente da CRT) disse que foram entregues remessas de dinheiro no escritório da OAS junto à Arena do Grêmio, construída pela empreiteira em Porto Alegre. A afirmação serviu para Youssef tentar comprovar que a empresa sabia de suas operações ilegais em contas no exterior.

Segundo o depoimento prestado no dia 25 de novembro do ano passado e divulgado nessa quinta (12/02). Youssef admitiu que operava um esquema de caixa 2 para a OAS, com depósitos em contas da empresa Santa Tereza Service, de João Procópio, apontado como laranja do doleiro. A partir dessa conta, realizava transferência de valores para empresas de Leonardo Meirelles, antes de os valores retornar ao Brasil mediante operações de dólar-cabo.

O doleiro contou para a Polícia Federal que realizava depósitos no exterior a mando da OAS e que cobrava uma comissão de 3% pelas operações. Questionado se a empresa conhecia o esquema de caixa 2, Youssef disse que "afirmava acreditar que sim". "pois entregou valores que provinham do exterior nas sedes da OAS em Porto Alegre e Rio de Janeiro e também buscou valores na sede da empresa em São Paulo". As entregas eram feitas por Adarico Negromonte (homem do PP) e Rafael Ângulo Lopez (ele é o homem da mala do doleiro Youssef. Rafael negociou com o Ministério Público Federal acordo de delação premiada. Ele vai entregar os nomes do pessoal de Porto Alegre. Nomes conhecidos...)


 Este (Rafael) já entregou ao MPF os nomes dos gaúchos que recebiam propina das roubalheiras da Petrobras...

O Adarico também viajou muito para Porto Alegre. Sempre com uma mala (que não continha só roupas). Só não trouxe dinheiro na cueca. Trouxe na "mala"...

Questionado sobre siglas em uma tabela apreendida como José Ricardo Breghirolli, funcionário da OAS, Youssef identificou a sigla POA como a entrega de valores no escritório que a empresa mantinha junto à Arena do Grêmio. De acordo com o depoimento, ele entregou lá R$ 500 mil e R$ 66 mil e também fez repasses de valores similares em residências...

Quem serão os felizardos que receberam as remessas em suas residências??? 

Uma coisa é certa: O DINHEIRO FOI PARAR NO BOLSO DE UM CONHECIDO POLÍTICO...

Tem uma importante Prefeitura que recebeu grana do esquema fraudulento...

Nenhum comentário:

Postar um comentário