sexta-feira, 20 de março de 2015

Antes tarde do que nunca!!! Depois que o presidente nacional da OAB está definitivamente fora da lista de indicações para o Supremo Tribunal Federal, a OAB do RS tomou uma atitude inteligente...


Foi publicado na edição desta quinta-feira (19), do jornal Zero Hora, de Porto Alegre, e Pioneiro, de Caxias do Sul, artigo do presidente da Ordem gaúcha, Marcelo Bertoluci, sobre os principais pontos da Campanha de Combate à Corrupção.

Respostas contra a corrupção
Por Marcelo Bertoluci - presidente da OAB/RS

O delicado momento da jovem democracia brasileira necessita de profunda análise da cidadania, pois as manifestações de rua reforçam a liberdade de expressão e evidenciam cada vez mais a indignação com as diárias denúncias de corrupção que sugam os recursos da República. A apropriação ilícita de bens e valores públicos subsiste atualmente sob a forma de fraudes em processos licitatórios e administrativos, como na Petrobras.
Não cabe à OAB pedir a condenação ou a absolvição de acusados, nem comentar casos submetidos à apreciação judicial. Entretanto, temos a legitimidade constitucional de reiterar que o povo exige a investigação profunda dos ilícitos e a responsabilização dos culpados – respeitada a ampla defesa, o contraditório e o devido processo legal –, deixando claro para os cidadãos e a comunidade internacional nossa absoluta rejeição quanto a essas ações inescrupulosas.
Nas manifestações de 2013, ficou claro o descrédito com agentes políticos e bandeiras partidárias, em razão do permanente fisiologismo das concertações de gabinetes. A crise de representação é confirmada em recente pesquisa Datafolha, na qual 71% dos brasileiros dizem não ter preferência partidária. Na mesma linha, segundo o Tribunal Superior Eleitoral, o custo das campanhas aumentou de R$ 798 milhões, em 2002, para R$ 5,1 bilhões, em 2014. Assim, é fundamental atacar a raiz da corrupção: o sistema eleitoral.

Nenhum comentário:

Postar um comentário