terça-feira, 3 de março de 2015

Ex-secretário de Gestão de Porto Alegre, Clóvis Garcez Magalhães, conhecido por maninho e mais três tem seus bens colocados em indisponibilidade pela Justiça


A 4ª Vara da Fazenda Pública do Rio Grande do Sul determinou a indisponibilidade dos bens de Clóvis Garcez Magalhães, o maninho. O bens do ex-secretário de Gestão de Porto Alegre (administração José Fogaça), Clóvis Garcez Magalhães,  da servidora da Procempa, Janice Maria Mayer Machado, do Diretor da Intercorp Consultoria Empresarial Ltda, Luis Antônio Lima e do ex-diretor-presidente da FINATEC (Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos), José Luiz Alves da Fontoura Rodrigues. Os Promotores de Justiça Nilson de Oliveira Rodrigues  Filho e Andr.é Baptista Caruso MacDonald pedem, o ressarcimento integral do dano causado ao erário público, no valor corrigido de R$ 1.259.839,43.

As investigações do Ministério Público Estadual detectaram que todos incorreram em atos de improbidade administrativa no contrato firmado entre a PROCEMPA e FINATEC, cujo objetivo era o fornecimento de "solução" informatizada de gerenciamento da Administração Municipal da Capital. 

O Ministério Público Estadual afirma que Clóvis Magalhães, o maninho, em conjunto com Janice Machado e Luís Antônio Lima, determinaram que a FINATEC fosse contratada pela PROCEMPA mediante a fajuta dispensa de licitação para o fornecimento do software....

O software, no entanto, já havia sido desenvolvida por Janice Machado para a empresa INTERCORP antes mesma da assinatura do contrato com a PROCEMPA, o que era de total conhecimento dos envolvidos.

Se gritar pega la.... não fica um meu ir....

Nenhum comentário:

Postar um comentário