sexta-feira, 6 de março de 2015

Procurador do MPC do Tribunal de Contas da União acusa o governo de fazer apologia a impunidade

Procurador do MPC do Tribunal de Contas da União, Julio Marcelo de Oliveira

"Quem defende que apenas os executivos das empresas sejam punidos e que as empresas não devam ser punidas, faz apologia à impunidade", escreveu o procurador Julio Marcelo de Oliveira, em sua petição ao Tribunal de Contas da União.

Essas declarações públicas realizadas em janeiro deste ano, a presidente Dilma Rousseff defendeu que apenas pessoas devam ser punidas e que empresas não podem ser destruídas. Em entrevista ao jornal Estado de São Paulo, o advogado-geral da União, Luis Inácio Adams corroborou a fala da presidente.

Mas é claro que a empresa estando com o cadastro sujo por participar de comprovadas falcatruas, não pode participar de contratos com o governo.

As empresas são compostas de pessoas. Se os administradores são punidos as empresas também dever ser punidas. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário