quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Empresa americana admite que pagou a médicos da "máfia das próteses"



Nos Estados Unidos, a Orthofix International informou que pagou a médicos brasileiros da rede pública (SUS)

A Comissão de Valores Imobiliários dos Estados Unidos, conhecida como SEC, anunciou um acordo com a ORTHOFIX INTERNATIONAL, em que a empresa admite ter cometido fraude contábil e também ter pago médicos em hospitais públicos brasileiros para utilizarem seus produtos e, assim, aumentar suas vendas.

Reportagem da Revista Veja informou que a empresa concordou em pagar mais de US$ 14 milhões para encerrar as investigações. No Brasil, o caso ficou conhecido como "Máfia das Próteses".

Em comunicado, a SEC afirmou que a subsidiária brasileira da empresa de implantes de equipamentos e acessórios médicos teria violado a Lei de Combate a Práticas de Corrupção no Exterior (FCPA) ao produzir "um esquema com fortes descontos e pagamentos impróprios através de representantes e distribuidoras" para induzir médicos contratados pelo governo brasileiro para utilizar seus produtos.

Distribuidores da Orthofix do Brasil:

Orthofix Brasil Ltda - Rua Alves Guimarães,1216 - Pinheiros - São Paulo/SP

Comércio de Materiais Ortopédicos Ltda (Santa Catarina) - Rua Domingos André Zanini, 277 - 6º andar - Sala 616 - Bairro Campinas - São José/SC

Biosintese Hospitalar Ltda (Rio de Janeiro) - Avenida das Américas, 4200 - Bloco 01 - Sala 605 - Barra da Tijuca - Rio de Janeiro/RJ

Techmedical Importações e Comércio Ltda (Minas Gerais) - Av. Bernardo Monteiro, 407 - Santa Efigênia - Belo Horizonte/MG

Medic System Ltda (Minas Gerais) - Avenida Getúlio Vargas, 560 - Bairro Martins - Uberlândia/MG

Marja (Minas Gerais) - Rua dos Viajantes, 36 - Centro - Ubá/MG

Centro Oeste Implantes Ortopédicos Ltda (Mato Grosso) - Rua Barão de Melgaco, 2754 - Sala 1703/1704 - Centro - Cuiabá/MT

Centro Oeste Implantes Ortopédicos Ltda (Mato Grosso do Sul) - Rua Alberto Neder, 328 - Sala 23 - Centro - Campo Grande/MS

Ortoplan Comércio de Implantes Ortopédicos (Alagoas, Rio Grande do Norte, Ceará, Pernambuco e Paraíba) - Rua General Polidoro, 267 - Bairro Várzea - Recife/PE

Medfix Ortopédica Ltda (Maranhão e Piauí) - Rua 1º de Maio, 274 - Bairro Monte Castelo - São Luis/MA

Alliance Hospitalar (Amazonas) - Rua das Ametistas, 219 - Bairro Nossa Senhora das Graças - Manaus/AM

Síntese Comercial Hospitalar Ltda (Brasília, Goiás, Tocantins) - Rua 9-A, 412 - Setor Aeroporto - Goiânia/GO

Orthek Comércio e Importação de Produtos Hospitalares Ltda (Bahia) - Av. Centenário, 2411 - Ed. Empresarial Centenário - Salas 1005, 1006 e 1007 - Bairro Chame Chame - Salvador/BA

Per Prima Comércio e Representação Ltda (Rio de Janeiro) - Rua Conde Lages, 44 - Grupo 1304 - Bairro Glória - Rio de Janeiro/RJ

3 comentários:

  1. Muita coisa vai mudar em 2017! A corrupção não é só dos Fornecedores com os Médicos. Existe hoje em alguns Estados a Mafia do Fornecedor com o Auditor ou Gerente Responsavel em Autorizar os Materiais de OPME. Ele Bloqueia ou afasta as Empresas concorrentes e fica somente aquela que ele fechou uma PARCERIA !!!! Essa parceria tem como um número que é 5!!! 5% é a comissão dos envolvidos do Convenio( Auditores e Gerentes) . A explicação que se dá para os outros Distribuidores concorrentes é que depois de avaliado a tabela de preços, o Fornecedor M ganhou a exclusividade pela qualidade e melhor preços dos pacotes nas cirurgias. Mas não se enganem que acha que isso é verdade! Na primeira semana pode até ser , mas depois em diante o preço desse Fornecedor volta a ser o maior, como era antes. Mas uma coisa se notou nesses fornecedores corruptos é que eles tem varias Empresas de pequeno porte ou Simples, quando tem um faturamento que ultrapassa a 16 milhões por ano. Mas deixam sempre algum rastro!!!! Denuncias já foram feitas a Receita Federal com os nomes da Empresa atual e antigas. Também foram passadas todos os nomes dos CPF usados como laranjas!!!! Esses Distribuidores e Auditores estão acabando com esses convenios, que a cada dia ficam com mais dificuldades para poder funcionar. Porque existem altos preços praticados por um fORNECEDOR que tem o monopólio do negócio !

    ResponderExcluir
  2. Parabéns ao Jornal pela coragem de dar as informações de corrupção na área hospitalar.

    ResponderExcluir
  3. Mas daí é de se perguntar. Por que a SEC não "compartilha" os dados com o MPF do Brasil, e as representates tomam uma ré por aqui. Será que as multas só cabem no bolso do Grande Irmão?
    Ou só o Brasil deve compartilhar informações com os US&A.

    Estes 14 milhoes são do Brasil! E aposto que deve ter muito mais.

    ResponderExcluir