sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

CRISE NO LIXO DE PORTO ALEGRE


Não bastasse o matagal que toma conta de ruas e praças de Porto Alegre - a empresa contratada para realizar o serviço - alega não ter recebido as faturas de novembro e dezembro, o que inviabilizou a continuidade dos serviços contratados.

O secretário municipal de Serviços Urbanos Ramiro Rosário veio a público informar que a Prefeitura vai licitar o serviço nos próximos dias. O DMLU vai exigir qualificação técnica, mão de obra especializada, maquinaria adequada e preço justo. Segundo a nova política do Governo Marchezan, não vai cair nenhum farelo para debaixo da mesa.

Nesta sexta-feira (10/02) o lixo seco permanece na frente das residências sem recolhimento. É outro serviço que agoniza. 

O prefeito Nelson Marchezan,  mesmo tendo se valido do BANCO DE TALENTOS, tem uma pedreira para quebrar todos os dias.

O lixo representa as veias abertas da cidade todos os dias. Se não for recolhido de forma adequada, transforma a vida dos contribuintes um verdadeiro inferno.

Ou Marchezan profissionaliza, ou Marchezan vai acabar como João Dória, na boleia de um caminhão recolhedor, correndo os famosos  16 km de Porto Alegre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário