quinta-feira, 9 de março de 2017

MPF e PF investigam reutilização de material em cirurgias no cérebro no Hospital das Clínicas de São Paulo


Funcionários relataram ter sido orientados a reutilizar material que deveria ser descartado e que a unidade sabia de inspeção da vigilância sanitária antes da visita. Hospital das Clínicas afastou funcionário e médico

O Ministério Público Federal e a Polícia Federal realizam uma robusta investigavam sobre fraudes no Hospital das Clínicas de São Paulo, o maior complexo hospitalar da América Latina. A suspeita é a de que materiais usados em cirurgias delicadas no cérebro, que deveriam ser descartadas, eram reutilizadas em outros procedimentos. 

O foco da investigação é o Setor de Neurocirurgia do nosocômio paulista, onde são tratadas doenças como mal de Parkinson, epilepsia e tumores cerebrais que afetam os movimentos. Os "médicos" também são suspeitos de adulterar prontuários dos pacientes. A diretoria do nosocômio confirmou parte das irregularidades que estão sendo investigadas e disse que duas pessoas já foram afastadas.

A PF já havia estado no Hospital das Clínicas em 2016, quando a havia sido montado no local um esquema de fraudes e superfaturamento na compra de equipamentos que causou um prejuízo de mais de R$ 18 milhões aos cofres. Na época, o HC negou as denúncias de compras superfaturadas (eles sempre negam...)

Quem "vendeu"os materiais em 2016? Bingo! Dabasons...

Nenhum comentário:

Postar um comentário