quinta-feira, 6 de abril de 2017

LEMBRAR É VIVER!!! ALBERTO BELTRAME ERA O CHEFÃO DO SAS (Secretária de Atenção à Saúde) NA ÉPOCA DAS UPAs DE LATA...


TCU vai investigar contratos das UPAs de lata

18/07/2011
RIO - O Tribunal de Contas da União (TCU) vai investigar os contratos de compra de contêineres e módulos metálicos usados pelo governo do estado e pela prefeitura para a instalação de Unidades de Pronto Atendimento 24h (UPAs) e Clínicas da Família. A decisão foi tomada após uma representação feita na segunda-feira pelo deputado federal Octávio Leite (PSDB), que cobrou do órgão que apure se esses equipamentos custam mais caro do que uma obra feita de alvenaria.


A representação foi feita com base em reportagem publicada pelo GLOBO no domingo. O jornal comparou o custo do metro quadrado das UPAs e das Clínicas da Família (R$ 2.385) com os valores pagos pela prefeitura de São Carlos (SP) na construção de um hospital de alvenaria. Além disso, repórteres do jornal levaram um engenheiro do Conselho Regional de Engenharia (Crea-RJ) até uma UPA feita com chapas de aço. Tanto a comparação quanto a análise do especialista constataram que o metro quadrado das unidades de atendimento ficou pelo menos 25% mais caro.
- Como há repasses federais para a construção das UPAs e para as Clínicas da Família, queremos saber se é mais vantajosa a construção em alvenaria. Além disso, enviarei um requerimento à Receita Federal pedindo informações sobre situação da Metalúrgica Valença (maior fornecedora de módulos metálicos no Rio) - disse o deputado.


Entre 2009 e este ano, a empresa já faturou cerca de R$ 173 milhões no estado. Embora receba o incentivo fiscal para operar no município de Valença, a empresa produz os equipamentos em Barra do Piraí, onde também funciona a Metalúrgica Barra do Piraí. As duas empresas pertencem ao empresário Ronald de Carvalho, amigo do vice-governador Luiz Fernando Pezão. Metalúrgica critica comparação de custos


A Metalúrgica Valença foi criada no dia 21 de novembro de 2008. Menos de um ano depois, em agosto de 2009, ganhou um contrato da Secretaria estadual de Saúde para fornecer 160 mil metros quadrados de módulos metálicos. O negócio total envolve cerca de R$ 381 milhões. Naquele mesmo ano a empresa fechou outros dois contratos, ambos com dispensa de licitação, para fornecer os módulos para a prefeitura do Rio no valor total de R$ 22 milhões. Apesar dos contratos vultuosos, a metalúrgica só conseguiu um galpão em Valença em junho de 2010. Na semana passada, uma equipe do GLOBO foi a Valença e notou pouco movimento de funcionários no local.


Fonte: O GLOBO

BELTRAME SABIA!!!


AS UPAS DE LATA FORAM INSTALADAS EM TODO O PAÍS, PRINCIPALMENTE NO NORTE, NORDESTE, CENTRO-OESTE...

Tinha milhões e milhões do Ministério da Saúde...

O Sérgio Cortês (Secretário da Saúde do RJ) pode lembrar mais detalhes ao Dr. Alberto Beltrame (chefão do SAS - Secretaria de Assistência à Saúde do Ministério da Saúde, na época da "compra" das UPAs de Lata).

Cortês e Alberto Beltrame eram muito amigos!!!

Conta tudo Cortês!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário