segunda-feira, 22 de maio de 2017

APÓS MÁFIA DAS ÓRTESES E PRÓTESES, INDÚSTRIA QUER EXPOR PAGAMENTOS A CONHECIDOS MÉDICOS


Dois anos e quatro meses após a Máfia das Órteses e Próteses, que expôs uma relação espúria entre conhecidos médicos e empresas pelo uso de materiais em cirurgias, a associação das indústrias de produtos para a saúde decidiu defender uma lei de transparência parecida com a dos Estados Unidos.

Pela legislação americana ("Sunshine Act"), as farmacêuticas e indústrias de dispositivos médicos são obrigadas a reportar anualmente ao governo federal todo pagamento feito a médicos com viagens, jantes, palestras, CONSULTORIAS, entre outros.

Depois de consolidados, os dados se tornam públicos, em um site do governo. Qualquer pessoa pode saber que tipo de relação financeira um médico tem com as indústrias e quanto recebeu delas. No Brasil, um grupo de senadores manifestou interesse de transformar a ideia em um projeto de lei neste ano.

A discussão sobre a relação entre profissionais e empresas de saúde ganhou corpo com a Máfia das Órteses e Próteses, investigada há dois anos pela PF, que apontou um esquema de corrupção para superfaturar a compra de materiais médicos. Houve pagamento a médicos pelo usos de materiais até em cirurgias desnecessárias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário