quinta-feira, 1 de junho de 2017

CARTA ABERTA À POPULAÇÃO DE PORTO ALEGRE:

O musculoso Marchezan Júnior e seu protetor Aécio Talco Neves

Um novo tempo!!!  Porto Alegre está nas mãos de um prefeito sem perfil técnico ou político para o executivo. Tem inabilidade para tratar com pessoas. Não passaria pelo "Banco de Talentos" se fosse entrevistado pela sua equipe (que atualmente está toda empregada como CC na prefeitura). Esqueceu-se de que suas frases de impacto ao microfone antes davam certo na Câmara Federal porque eram recortadas pela sua assessoria e compartilhadas nas redes sociais. Hoje a "vida real", como gosta tanto de repetir, é diferente. O silêncio, prefeito, às vezes é mais valioso.


Nelson Marchezan Júnior, que gasta tanta energia com o embate, com o enfrentamento, e sempre deixou claro seu desafeto com a ex-governadora Yeda, repete exatamente a sua receita ao dizer que o cofre estava vazio quanto chegou. E ainda conseguirá outro feito igual da sua correligionária, o de não se reeleger.


Ao seu lado tem o apático Gustavo Paim que nem nunca na história desse país foi, sequer, síndico de prédio. Agora o advogado e professor tem a ingrata tarefa de tentar domar um legislativo municipal que quer a cabeça do prefeito lunático e de alguns de seus secretários.


O centralizador Marchezan Júnior escolheu um secretariado adequado para o tamanho do seu chicote. Isolou Leonardo Busatto (Fazenda), José Parode (Gestão) e Bruno Miragem (Procuradoria) do resto do Governo numa espécie de assessores de gabinete. Despacha com os três como ainda estivesse em Brasília (onde era um puxa-saco do Aécio Talco Neves), cuidando de pautas e agendas de comissões  e projetos. Júnior precisa entender a diferença entre o legislativo e o executivo. Em uma das principais pastas, Infraestrutura e Mobilidade Urbana, colocou o nada técnico petebista Elizandro Sabino. Com quase 10 mil votos, Sabino já percebeu que sua cadeira na Câmara pode ser uma alternativa para escapar dessa gestão falida politicamente. Na a educação, uma de suas principais bandeiras durante sua demagógica campanha, trouxe do meio universitário (Unisinos) uma figura peculiar, nem gestor, nem político. O professor Adriano Naves de Brito ainda não conseguiu trazer uma  pauta positiva para a cidade. Ninguém sabe até quando fica no cargo. Outra pérola (um petista) é o secretário da cultura, o produtor Luciano Albarse, que ainda está descobrindo o que é ser secretário municipal de uma importante capital como Porto Alegre. Diferentemente de Naves, Albarse deve ter mais tempo, porque tem menos dinheiro. Na Segurança, o Coroné Kleber também é cobrado pela população, pois muitas promessas ocorreram na campanha, o Coroné conseguiu, lá no inicio do governo, fazer um migué com a entrega de veículos maquiados. Ainda não há pressão pela sua cabeça. É um Coroné inexpressivo!!!


Na área econômica com Ricardo Gomes (MBL) e Bruno Vanuzzi as coisas são diferentes. Ambos devem "pedir" para sair antes do governo acabar. Já se deram conta que a prefeitura está em péssimas condições financeiras, e que suas "ideias brilhantes" não iram prosperar com o controlador Júnior.


Ramiro Rosário (MBL), vulgo Barão, é o estagiário do prefeito. O faz-tudo foi apoiado diretamente pelo prefeito (pelo seus serviços prestados. Será que é aquela gravação da mixaria dos 300 reais?). Assim como seus assessores diretos, indiretos e alguns secretários, recebe as chicotadas do Júnior.

Ramiro também é subordinado pela Coxa Grossa (do MBL), que é outro absurdo!!!

O lixo e o luxo andam juntos...

A mana de um ex-presidiário, a secretária Maria Fátima e Maurício Fernandes foram chamados para serem despachantes de luxo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário