quarta-feira, 14 de junho de 2017

O poderoso médico Claudio Seferin, ex-chefão do Sistema de Saúde Mãe de Deus está montando um nosocômio em Caxias do Sul


O poderoso médico Claudio Seferin, ex-chefão do Sistema de Saúde Mãe de Deus, está construindo um nosocômio em Caxias do Sul. É o Hospital Life Day, previsto para ser concluído em 2020, o empreendimento envolve parceria entre a Fisa Incorporadora, e a SEFERIN & COELHO, especializada em gestão de hospitais e planos de saúde de Porto  Alegre. 

O Hospital LifeDay será hospedado  no mall do Fisa Center Med, complexo de saúde, que demandará investimento de R$ 100 milhões,  em prédio de 24 pavimentos a ser erguidona esquina da Av.  Júlio  de Castilhos com a Rua  Humberto de Campos...

A cria do Dr. Tomate está orgulhando o seu ex-chefe...

Lembrar é viver. Notícia de 2008:

MPF/DF responsabiliza oito por concessão indevida de certificado de filantropia


O Ministério Público Federal no Distrito Federal (MPF/DF) ajuizou na última sexta-feira, 5 de dezembro, ação de improbidade administrativa contra oito pessoas envolvidas na concessão indevida do Certificado de Entidade Beneficente de Assistência Social (Cebas) ao Hospital Mãe de Deus pelo Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS), em dezembro de 2006. O grupo é acusado de interferir nos processos de interesse da entidade para garantir que ela pudesse gozar, indevidamente, da isenção de contribuições sociais. A fraude foi descoberta durante as investigações da Operação Fariseu, deflagrada pelo MPF e Polícia Federal em março deste ano. Entre os envolvidos estão quatro ex-conselheiros e um servidor do CNAS, o advogado e dois dirigentes do hospital.

De acordo com o MPF, os agentes públicos utilizaram a posição que ocupavam para patrocinar interesses privados e favorecer, indevidamente, o hospital do Mãe de Deus. Eles facilitaram o acesso do advogado da entidade a documentos internos, intercederam junto a outros conselheiros, realizaram manobras para colocar ou retirar o processo da pauta de julgamento e combinaram estratégias de defesa da instituição. Eram “verdadeiros consultores da entidade dentro do CNAS, prestando-lhe assessoria e fornecendo-lhe informações privilegiadas”, afirmam na ação os procuradores da República Pedro Antônio Machado e José Alfredo de Paula Silva. Em troca, receberam dinheiro, viagens, vinhos e outras vantagens indevidas.

A análise dos documentos apreendidos demonstrou que a Associação Educadora São Carlos (com sede em Caxias do Sul/RS), mantenedora do hospital Mãe de Deus (com unidades em Porto Alegre/RS, Capão da Canoa/RS, Campo Bom/RS, Torres/RS), não cumpria os requisitos necessários para receber o certificado de entidade filantrópica. Pelo menos três irregularidades foram apontadas pela auditoria fiscal: descumprimento do percentual mínimo em gratuidade (20% da receita bruta); distribuição de patrimônio da entidade; e remuneração direta e indireta de dirigentes. O diretor-superintendente do hospital filantrópico, Cláudio Seferin, declarou, em depoimento à Polícia Federal, receber salário mensal de 50 mil reais. Ainda segundo Seferin, a remuneração de outros dirigentes varia de 30 mil a 40 mil reais por mês.

Nenhum comentário:

Postar um comentário