segunda-feira, 24 de julho de 2017

OS SEGREDOS DO MICHEL COSTA DA SILVA, O PODEROSO DIRETOR-TÉCNICO DA PROCEMPA DO MARCHEZAN...

Michel Costa da Silva

O paulista Danilo Furlan é diretor-executivo do CDS/São Paulo. É formado em Ciências da Computação pela PUC/SP e pós-graduado em Administração de Empresas pela ESAN.

Quem fez o Banco de Talentos? Bingo! Danilo Furlan da CDS/SP e Michel

Quem levou o Michel para a Procempa? Bingo! Marco Antônio Seadi

Olha o curriculum do Michel:

O presidente da Procempa Paulo Roberto Miranda e Ronei Ferrigolo são apóstolos do dono da ONG Brisa. O dono é Solon Lemos Pinto (ex-presidente da Procergs no governo Simon).

Ferrigolo esteve cotado para assumir a diretoria-tecnica da Procempa no governo Marchezan Júnior. Só que sua passagem na Procergs foi tumultuada e cheia de problema$...

Então Ferrigolo ajudou a colocar seu amigo Michel na diretoria-técnica da Procempa. Quem está junto na "jogada" é o ex-presidente Ademir Milton Piccoli (foi presidente da Procergs no governo Yeda). Piccoli e Ferrigolo são amicíssimos... O chefe de todos tem nome, CPF e sobrenome: Nelson Marchezan Júnior...


O intere$$e do Ferrigolo é abrir as portas da ORACLE, onde é funcionário.

A ORACLE po$$ui grandes intere$$es na Procempa, Procergs, Banrisul...

ONG BRISA, Michel, Ferrigolo, Paulo Roberto, Seadi é tudo farinha do mesmo saco!

Ao contrário do que o Jornal Zero Hora publicou, Michel não se interessa por GPS, mas sim por vendas de passagem pela Internet.

Michel Costa da Silva é especialista em meios de pagamento para mobilidade urbana, dirigiu empresas de créditos para transporte público. Foi Michel que colocou a empresa AUTOPASS dentro de Carris, onde fizeram venda de passagens pela Internet na linha T1.

Ele colocou também outra empresa da mesma modalidade dentro da poderosa ATP. E dentro do Trensurb colocou a empresa 4all. Que é uma empresa do Sr. José Renato (ex-sócio da Getnet).

Empresa Getnet foi vendida para o Banco Santander por mais de R$ 1 bilhão. Foi o Michel (junto com Eliseu Padilha) que colocou a 4all dentro do Trensurb. A 4all foi criada pelo Sr. José Renato (ex-Getnet) após a venda para o Banco Santander. 

Tais "serviços" movimentam vários milhões mensalmente.

A ligação do Michel, do José Renato, do Ferrigolo, do Piccoli, do Paulo Roberto, do Seadi visam um único objetivo: Abocanhar o comércio de vendas de passagens pela Internet em todo o Rio Grande do Sul.

Eles conseguiram entrar no Trensurb. Estavam quase entrando na Metroplan, através do seu diretor-superintendente Pedro Bisch Neto (um homem notoriamente do Eliseu Padilha). A denúncia do Jornal Zero Hora frustrou seus planos milionários. Embora, a ZH errou em afirmar que o assunto era GPS.

Os empresários estão recarregando o cartão do Trensurb via Internet, ou seja, pela 4all. É bom lembrar que Pedro Bisch Neto já foi dirigente do Trensurb. É tudo um jogo milionário de cartas marcadas.


Lembar é viver!!!


Governo do RS contratou empresa vinculada a presidente de estatal


TCE investiga se dirigente da Procergs usou cargo para facilitar contratação de companhia da qual era sócio


Segundo a "Veja", Ronei Ferrigolo é investigado por suposto recebimento de mesada de R$ 15 mil, paga pela Federasul; ele nega 

GRACILIANO ROCHA

DA AGÊNCIA FOLHA, EM PORTO ALEGRE 


O governo gaúcho contratou uma empresa ligada ao presidente da Procergs (estatal de processamento de dados do Rio Grande do Sul), Ronei Ferrigolo. O TCE (Tribunal de Contas do Estado) apura se há irregularidades nos contratos do governo com a Processor Informática Ltda., empresa que teve Ferrigolo como sócio e que começou a ser fornecedora do Estado depois que ele passou a ser diretor da estatal.

A suspeita investigada pelo tribunal é a de que o dirigente tenha usado o cargo para facilitar a contratação da companhia, da qual foi sócio até 2002, o que caracterizaria improbidade administrativa.

O TCE está realizando auditoria extraordinária na estatal. No foco da devassa está uma licitação de 2002 para a contratação de R$ 1 milhão em produtos e serviços de tecnologia da informação para a Procergs.

A Processor perdeu a disputa, mas acabou ficando com o contrato após a ganhadora da concorrência, a TBA Informática, desistir dele em acordo judicial em 2003, ano em que Ferrigolo passou a ocupar, por indicação do PMDB, uma das diretorias da Procergs.
O contrato com a Procergs foi a porta de entrada para a Processor se tornar uma das principais fornecedoras de tecnologia da informação para o governo gaúcho.

Segundo a Folha apurou, pelo menos dez secretarias e empresas estatais contrataram a Processor desde 2004, sem licitação, tendo como referência os valores do contrato com a Procergs. O TCE ainda não sabe quanto a empresa faturou.

Em março de 2007, Ferrigolo foi exonerado do cargo de diretor de desenvolvimento, mas voltou à Procergs em setembro, como presidente.


Suposta mesada

Ferrigolo também está sendo investigado pelo Ministério Público Estadual e pela PGE (Procuradoria Geral do Estado) por supostamente ter recebido mesada de R$ 15 mil da Federasul (Federação das Associações Comerciais do RS).

O dinheiro seria uma espécie de "complemento salarial", afirma reportagem da revista "Veja". O secretário de Governo, Erik Camarano, segundo a revista, também receberia um salário "por fora" de empresários. Ambos negam.

Ontem, o secretário-adjunto estadual da Fazenda, Ricardo Englert, disse que a permanência de Ferrigolo no governo depende da análise da PGE. O governo prometeu demiti-lo se for constatada irregularidade. Ontem, Englert disse que, mesmo que não seja constatado conflito de interesses, o governo pretende reunir o conselho administrativo da Procergs para definir se Ferrigolo continua no cargo.

3 comentários:

  1. Este Marco Antônio Seadi é do PP e abafou inúmeros escândalos da Procempa e até agora o prefeito não fez nada. Da pra entender.
    Os funcionários da empresa levaram ao conhecimento desse diretor muitas denuncias e ele nunca fez nada.
    Pede para o diretor falar sobre CCs, estagiários e terceirizados fantasmas, falsificação da folha ponto ,desvio de vales-alimentação..etc..etc..
    É só uma questão de tempo pra estourar outro escândalo dentro dessa empresa.

    Sabrina R.

    ResponderExcluir
  2. Pede para esse Diretor falar das estagiárias novinhas e gatas que ele fazia questão de contratar através, por indicação e "meio de campo" de sua assessora estudante de direito da PUC, só filé. Elas faziam o que queriam.
    Ninguém podia nem dar bom dia para elas que esse Diretor ficava brabo.
    Pede para ele também porquê na época da sindicância daqueles desvios noticiados, deixou de fora uma importante terceirizada na época, que fornecia mão de obra de monitores. Ele "apertava"o dono da empresa para a % no contrato.
    Esse tipo de gente sempre se perpetua na administração pública, os bons vão para fila do Sine.
    André K

    ResponderExcluir
  3. Michel Costa, um verdadeiro lobista, que visa somente encher o bolso de dinheiro sem ao menos se dedicar 10 horas semanais para qualquer tipo de trabalho. Tive a infelicidade de trabalhar com essa mau caráter e sei muito bem do que é capaz.
    Levou muito dinheiro da METROPLAN embora!

    ResponderExcluir